Já que todo mundo que escreve e mora sozinho escreve sobre morar sozinho, resolvi dar minha contribuição necessariamente desnecessária à sociedade — das pessoas que leem as coisas que eu posto por aqui — falando sobre a incrível vida de alguém que vive de solidão.

Por incrível que pareça, o caos está sempre no início de tudo. Depois piora.

Antes de morar sozinho, você já imagina: “nossa, vai ser muito massa! Vou poder levar quem eu quiser em casa, comer o que eu quiser todo dia, sair na hora que eu quiser” dentre outras coisas. Mas o que acontece de verdade é que você vai até poder levar quem quiser em casa, só que não vai querer ninguém, porque se você mora sozinho, trabalha e estuda, em momentos de folga só vai querer paz, sossego, Netflix e sua cama.

E essa história de comer o que quiser é a maior das ilusões; se você quiser uma pizza e não tiver dinheiro pra comprar, vai ser aquele macarrão instantâneo que está dentro do armário mesmo. A não ser que você banque o mestre cuca — eu — e tenha os materiais necessários, além de disposição, para fazer aquele prato surpreendente que aprendeu no YouTube. Se ficar tão bom ao nível de atrair os vizinhos — ainda não tive essa coragem —, inscreva-se no MasterChef ou manda a receita pra Ana Maria Braga.

Com certeza você já sabe: depois da comida vem a…? Não. Não estou falando de sobremesa. Depois da comida vem a mais linda e mais bela LOUÇA — insira confetes e gritos de euforia aqui! A regra é: sujou lavou. Certo? Bom, quando você mora sozinho, você faz as regras. E é esse o maior dos erros. Acumular louça suja só vai te dar mais dor de cabeça, porque você vai juntando e juntando e acaba esquecendo, e fede a casa toda, e fede até seu juízo. Aproveita e já anota aí pra cuidar dessa pia assim que acabar de ler isso aqui.

Tira logo da cabeça isso de “sair na hora que quiser”. Os trabalhos da faculdade não vão deixar. O trabalho que você trouxe pra casa também não vai deixar. As preocupações com os projetos da sua vida não vão deixar. Agora, se preferir abrir mão de alguma dessas coisas e arcar com as responsabilidades depois, pode sair na hora que quiser sim. Vai vestindo uma peça de roupa, lembrando aquele texto que tinha que escrever e desistindo de sair aos poucos, pois é muito melhor remarcar a saidinha do que adiar trabalho.

Ei, eu falei “peça de roupa”? Isso quer dizer que cheguei à melhor das piores partes! Você tem uma máquina de lavar? Porque, se não, boa sorte. Ah, mas gosta de lavar roupa? Não? Risos. É aqui que as coisas pioram. Aprenda e arranje paciência para cuidar disso. Aproveita e tira um dia da semana somente para lavagem de roupas. Até hoje eu não sei fazer isso e acredito que seja o próximo estágio dessa vida de solteiro: aprender a antiga arte de lavar um pedaço de pano.

A limpeza da casa é moleza… se não tiver poeira em tudo. Principalmente em livros — eu realmente não consegui não me ver em nada do que já escrevi até agora. É muito ruim quando você é o encarregado de todas as tarefas de casa, mas acaba sendo bom, sabe? E, se você ainda não teve a iniciativa, não desista só porque leu esses fatos da minha vida. Cada um tem seu jeito de morar sozinho. Escreve sobre isso. A gente sempre quer saber como é a vida de solteiro de cada um e trocar figurinhas.

Dica: se possível, crie um animalzinho ou uma plantinha. São os tipos de seres vivos que mais fazem uma pessoa relaxar dos estresses de estar sempre solitário dentro de casa. E, sim, converse — com as plantas também —; mesmo que não se obtenha uma resposta, você pelo menos está sendo ouvido e compreendido por alguém que está sempre por perto, não é mesmo?

Anúncios